terça-feira, 4 de agosto de 2009

Idéia para texto: ausência de idéias por incompetência da memória

Sabe quando tu, do nada, tem uma excelente idéia, mas depois esquece? E geralmente, tu lembra do fato de ter tido a grande idéia, mas nunca mais consegue se lembrar o que era exatamente... É uma merda, não?

Muitas vezes acontece quando estamos na rua e não temos nada para anotar. Outras vezes até temos onde anotar, mas subestimamos a maior característica humana, a nossa amiga falha, ao pensar que "não, essa idéia é boa demais para que eu me esqueça..."

Também acontece na cama, quando estamos quase pegando no sono. Fazemos menção de nos levantarmos, mas lembramos que estamos cansados ou com preguiça demais para procurar a caneta e o papel mais próximo para anotar. Aí ficamos repetindo várias vezes mentalmente a idéia até pegar no sono, na cômico-ridícula tentativa de gravá-la no nosso subconsciente de modo que ela sobreviva às sete ou oito horas de sono e sonhos. Desnecessário dizer, mas acaba não funcionando.

Acho que só acontece algo passível de comparação por grau de lamentação e irritação quando, sei lá, ouvimos numa propaganda qualquer uma música da qual gostamos muito, mas como é uma propaganda (e não um clipe), não aparece o nome da música na tela, e daí ficamos nos torturando ao pensar como poderíamos procurar no Google para tentar encontrar a tal música na internet. Tentamos procurar no Youtube um vídeo da propaganda, rezando esperançosamente para que uma alma caridosa tenha respondido o comment daquele cara que perguntou o nome da música (sempre tem um cara que pergunta isso, SEMPRE). Tentamos também "googlar" alguns dos versos de que lembramos, esperando que um deles coincida com o nome da música em questão. Tudo em vão, na maioria dos casos.

Ou quando compramos um produto importado, geralmente da área de informática e eletrônicos, e achamos que fizemos a compra por um bom preço, e aí, dois meses depois, o dólar tem uma queda proporcional ao nosso sentimento de burrice por não ter esperado um pouco mais para comprar a bugiganga.

Uma clássica: questões alternativas. Tu lê aquele baita texto, perde tempo interpretando a questão da prova, pensa bastante e elimina três das cinco alternativas. Tu dá uma conferida no relógio e percebe que perdeste mais tempo do que deveria nessa porra de questão. Bate o nervosismo e tu resolve chutar duma vez. Marca a lápis. Mas depois pensa melhor, e, pensando bem mesmo, a outra alternativa parece um pouquinhozinhozinho mais correta. Aí tu troca e põe à caneta. E quando sai o resultado, parabéns, tu havia marcado a certa mas mudou e te fu... Se é uma prova de colégio, geralmente esse erro faz com que tu fique com nota abaixo da média, e se tu tivesse acertado, estaria acima.

Ou ainda, quando nós estamos jogando um game e em certa parte, existem dois caminhos possíveis. Pretendíamos vasculhar todo o cenário em busca de itens, ou qualquer outra coisa, antes de prosseguirmos no jogo, afinal queremos finalizá-lo com 100%. Mas aí, quando tomamos o caminho escolhido, aparece uma cut-scene (indicando que tu avançou no jogo), geralmente na qual vemos uma animação de algo que bloqueie e/ou impossibilite voltarmos pelo caminho do qual viemos. Daí ficamos nos lamentando por não ter escolhido o outro caminho antes. E o pior é que quase sempre é tarde de mais para dar Exit Game (sem salvar), pois o último Save Point no qual gravamos o jogo foi há um tempão atrás, e a última parte do jogo pela qual passamos foi extremamente difícil, logo dar Exit significaria horas sofridas de jogo perdidas.

2 comentários:

Glória disse...

putz isso me acontece seguido
principalmente com as poesia
eu acho aquele verso perfeito e se não anoto foi-se, nunca mais será escrito
mas o método de repetir antes de dormir funciona comigo
desde que eu era criança se lembro de algo antes de dormir e fico repetindo no momento em que eu acordo eu lembro, mas é exatamente quando eu acordo mesmo pq depois eu esqueço
e qto ao caminho ou questão ou seja lá o q for certos é coisa de sorte mesmo, tem gent q acredita até em 'forças superiores' nessa hora, mas nada como o bom e velho chutômetro...

cruiz isso é q é um comentário gigante

=*

Giovanni disse...

haehuaehu
a repetição não é inútil pra todos, então.. huahaeh