quinta-feira, 11 de junho de 2009

Quando o teu melhor não é suficiente

Sentir-se fraco e incapaz. Essa é uma das piores sensações que há.

Tu sabes que estás no auge do teu vigor cerebral e físico, no melhor de tua disposição, num momento esplêndido da vida. O limite, se existe, é o céu. Não há como melhorar muito mais.

Mas estar na tua melhor forma, às vezes, não é o bastante. E o que é pior: além da boa forma, houve esforço, dedicação. Tu te empenhaste e acreditaste. Mas o resultado não veio. A luta foi praticamente em vão. Tu perdeu, porque tu és fraco. E mesmo que não sejas assim tão fraco, aquilo era mais forte que tu, de qualquer maneira. Tanto faz; a sensação de impotência é a mesma.

Lamentação. Ah, como tu desejas que fosse um pouco melhor. A cabeça transborda de indagações condicionais e autocríticas.

Nada nunca é bom; sempre somos ruins e pessimistas. Temos sempre que melhorar e melhorar e melhorar. Mas isso é mesmo necessário? Por quê? Não podemos apenas sermos nós?

Pensando bem, isso está certo. A culpa não é tua. É desse professor idiota, é dessa faculdade idiota, é dessa namorada idiota, que só cobra, exige, e que nota os defeitos como ninguém. A culpa é do capitalismo. É desse mundo desigual e intolerante, sujo, mesquinho. São todos mais hipócritas até mesmo do que eu, que encho essa bosta de adjetivos variados, para causar a impressão de ter o domínio da língua portuguesa, para enfeitar e acharem bonito, quando na verdade sou só mais um pseudo-escritor tentando aparecer.

Não podemos ser fracos. Não podemos não ser tão bons quanto pensavam que nós éramos. Não podemos ser medíocres, mesmo tendo tentado ferrenhamente não o ser. Ninguém está nem aí se tu mereceu, por esforço.

2 comentários:

Arthur disse...

belo texto, fiquei admirando ao ler
as palavras que tu usou
mas é isso ae
a vida não é fácil meu
e bola pra frente

Arthur

Arthur disse...

MAS NÃO JAMAIS ESQUEÇAS, NUNCA DESISTA!
se é o que tu curto vá em frente que atrás vem gente, como diz o dito popular