sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Desmistificando tribos urbanas: Otakus

Observação: matéria escrita originalmente como rascunho na noite do dia 6 de novembro, mas concluída em 22 de novembro.


Não posso deixar de pensar em como é deprimente estar em frente ao monitor do meu computador, fazendo nada, numa sexta-feira às onze da noite. Pelo menos é uma oportunidade para continuar a matéria das tribos. Dessa vez, otakus.


Telefone sem fio

Como sempre, vamos antes à etimologia da palavra. O termo "otaku" é de origem japonesa, e ganhou força por volta de 1989. É um termo meio forte, dependendo das circunstâncias nas quais é utilizado, então é necessária certa cautela em seu emprego, mas basicamente, designa alguém que é obcecado em demasia (pode isso?) por determinado assunto, qualquer que seja. No sentido mais "agressivo" do termo, este se refere a pessoas que tenham tendência ao isolamento social, inclusive podendo desenvolver fobia e comportamento altamente arisco, devido à obcessão anormal pelo assunto, coisa ou hobby em questão.

Calma aí cara...

Porém, entre amigos, num ambiente de menor formalidade, o termo pode ser usado como forma de gozação, um exagero para provocar e brincar com alguém que goste muito de certo assunto. Seria como falar que eu sou doente por The Big Bang Theory, que eu mataria para ser o primeiro a ver o 1º episódio da nova temporada, por exemplo, quando na verdade só gosto bastante da série (e talvez mate mesmo... o_O).

Muito bom este curta em live action, qualquer hora procurem no Tube.

E é daí que surge o termo "otaku" como nós conhecemos hoje no ocidente. Aqui, ser otaku significa ser muito fã de animes, mangás, J-music, cosplay, etc. O que provavelmente aconteceu é que alguém usou o termo quando se referia a um viciado especificamente em quadrinhos ou animações japonesas, e um outro alguém começou a relacionar tal expressão ao fato de o cara gostar de anime, independentemente de ser obcecado ou não. A coisa pegou e se disseminou através dos variados meios de comunicação, atingindo as diversas classes das populações dos muitos países desse mundinho de meu deus. Não é interessante como as palavras vão mudando de sentido quando viajam por diferentes regiões e culturas, através do boca-a-boca, e com o passar do tempo?


Alma de olhos puxados

Agora que a questão da nomenclatura foi explicada, prossigamos com a questão: "Mas, afinal, o que raios define este grupo social tão peculiar ao qual denominamos otakus?

Quartos definem seus donos.

Bom, o básico mesmo já foi dito no início do parágrafo ante-anterior. Os otakus são pessoas que curtem um pouco da complicada cultura japonesa: gostam de assistir animes e ler mangás, desenhá-los, ou até mesmo vestir-se como seus personagens favoritos para ir a convenções, onde encontram outras centenas de pessoas que fazem o mesmo. Gostam de filmes, músicas e games japoneses (ou dos divertidíssimos programas malucos de TV que eles inventam a todo momento), gostam de escrever, ler e falar coisas em japonês (alguns inclusive fazem curso de língua japonesa...), apreciam a culinária japonesa, o origami, o kendo, as tecnologias cada vez mais surpreendentes que surgem por lá, enfim, acho que todos já entenderam. Muitos otakus gostariam de terem nascido japoneses.

Genshiken é um anime que fala justamente do mundo otaku.

E mais uma vez, a grande responsável de tudo é, todos sabem, a internet. Onde mais teriámos acesso ilimitado e gratuito a teragazilhões de informações e conteúdos que seguer imaginaríamos existentes e que jamais chegariam aos televisores e telões em solo tupiniquim? Os otakus, não como tribo urbana japonesa (pois lá é muito fácil ser otaku, né), mas como tribo urbana a nível mundial, são filhos da internet, sem dúvida (e embora eu tenha ficado com uma estranha sensação de que esta frase foi muito mal formulada).

Pessoas normais também podem ser otakus! Pô, tem até um cara com a camiseta do Nirvana ali.


Tudo junto e misturado


E para terminar (e esclarecer dúvidas), não há uma relação concreta de dependência entre os otakus e os nerds e geeks. Um otaku pode ou não ser nerd ou geek. Mas não é raro que um nerd seja otaku. Mesmo assim, um nerd pode não ser, ser um pouco ou ser muito otaku. O que quero dizer é que uma certa ligação, de fato, há. Só que não é uma ligação do tipo que se possa generalizar; há casos e casos, e cada caso é um caso (lol).

2 comentários:

Glória Priscila disse...

ta vivo? xD
nunk t vejo on...
=*

Gabyrhcp15 disse...

vlw man. tava precisando pra um trabalho,e as pessoas falam cada coisa...foi o melhor q vi,parabéns.